Percurso pedestre: Volta a Ràmio

PERCURSO PEDESTRE: VOLTA A RÀMIO

GUARDAR

Nível

Moderado

Distância

8.27 km

Desnível

+548 m / -546 m

Declarado Património Cultural da Humanidade pela Unesco em 2004, o vale de Madriu-Perafita-Claror é um daqueles lugares que têm de ser visitados pessoalmente. A volta a Ràmio, o itinerário que lhe propomos, é a maneira mais fácil de lá chegar e de se maravilhar com a relação que o ser humano criou com a natureza ao longo dos séculos, uma relação preservada até aos nossos dias neste ecossistema, de grande biodiversidade.

À paisagem natural, um verdadeiro espetáculo de cores e vida, especialmente na primavera, para não falar das cores que surgem no outono, inclui-se a intervenção humana. Caminhos calcetados, bordes (antigas construções rurais típicas de Andorra), restos de antigas fundições, cabanas de pastor e muros de pedra seca são exemplos das atividades e dos ofícios tradicionais que souberam coexistir em equilíbrio com o meio natural, dando forma a um território único em Andorra e, por extensão, nos Pirenéus. O repicar dos badalos e dos chocalhos das vacas e dos cavalos que por ali pastam até meados do outono dão fé de que atividades como a criação de gado continuam a levar-se a cabo atualmente. 

O percurso, apesar de estar perfeitamente sinalizado e não supor qualquer dificuldade técnica, exige ao caminhante uma boa forma física para poder realizá-lo nas melhores condições possíveis e não perder nenhum dos tesouros que lá se escondem.

O caminho começa no parque de estacionamento da fonte da Closa, no Pla d’Engolasters, continua pelo caminho do canal da Tosa, depois junta-se ao de Coll Jovell e, a partir deste ponto, continua pelo caminho parcialmente calcetado dos Matxos (GR11) até às bordes de Ràmio, ao fundo do vale. Uma vez aqui, começamos a ascensão em direção a Fontverd pelo caminho da Montanha (GR7-GR11), seguindo o rumor do rio Madriu, que está perto. Depois de deixarmos para trás a borda de l’Estall, chegaremos a Fontverd, onde, além das cabanas, encontraremos o refúgio de Fontverd, ponto mais elevado deste percurso (1875 m). Para regressar, apanhamos a variante do caminho de Solà de Ràmio até a Coll Jovell, desde onde começaremos a descer pelo caminho dos Matxos (GR11) e depois pelo caminho do canal da Tosa, ponto final do percurso.

Por uma questão de segurança, é recomendável fazer os itinerários acima de 1.700 metros de altitude apenas entre finais de junho e finais de setembro.

Descubra outros itinerários no guia de pedestrianismo Camins d’Andorra.

GUARDAR

Localização e contacto

Para saber mais

Descarregar track

O que há perto ?

ATIVIDADES PARA SE DIVERTIR...

ITINERÁRIOS QUE VALE A PENA FAZER...

HOTÉIS QUE LHE PODEM INTERESSAR...

EVENTOS QUE NÃO PODE PERDER...

DESCARREGUE O TURISMO ATIVO

Descubra uma grande quantidade de rotas ao ar livre, com mapas offline e um detalhado seguimento GPS. Planeie já as suas atividades de montanha!