VINHO QUENTE QUEIMADO

O vinho quente é uma bebida própria do inverno, tem um carácter popular e está muito presente em toda a Europa. Como é habitual nas tradições gastronómicas de vasto espetro geográfico, adquire um travo específico consoante a região em que se prepara.

É preparado tradicionalmente com vinho tinto e especiarias, como a canela, cravinho, noz-moscada, açúcar ou fruta. A receita que lhe propomos inclui, além dos ingredientes anteriores, casca de limão e laranja e também damasco seco. Em conjunto com o vinho queimado (não confundir com o cremat mediterrânico), estes ingredientes conferem-lhe o toque doce e o aroma afrutado tão característicos desta bebida e que a distingue das outras. 

O vinho quente consome-se em toda a Europa e é típico das celebrações natalícias, tais como os tradicionais mercados de Natal. É possível saborear vinho quente da Catalunha, Valência e Baleares à Escandinávia, passando pela Hungria, Bulgária, Alemanha, França, Suíça, Itália, Portugal ou Inglaterra, para mencionar apenas alguns exemplos. Em Andorra é tradição servi-lo à saída da Missa do Galo.

Apesar de ser uma receita simples, é uma boa maneira de concluir uma refeição e uma boa surpresa para os seus convidados. 

RECEITA

Preparação:

Ponha todos os ingredientes a ferver em lume alto. Quando começar a formar-se uma capa esbranquiçada e começar a ferver, é o momento de queimar o vinho. Enquanto queima, vá mexendo com uma colher grande ou uma escumadeira e, quando chegar ao ponto que desejar, apague o lume e sirva. Tenha em conta que quanto mais tempo estiver a queimar, menos álcool terá.

Ingredientes para preparar o vinho quente queimado:

- 3 l de vinho
- 600 g de açúcar
- um pauzinho de canela
- uma casca de limão
- três cascas de laranja
- noz-moscada ralada
- três cravos
- 300 g de damasco seco

Bibliografía:

Livro: La nostra cuina. Menges d’aquí
Autor: Maria Dolors Ribes Roigé / Josep M.ª Troguet Ribes
2.ª Edição: abril de 2007