Rota de trilha e caminhada: Estany Negre

Rota de trilha e caminhada: Estany Negre

Nível

difícil

Distância

11,5 km

Desnível

+1053 m / -1053 m

Para chegar a este itinerário, podemos ir de carro até ao parque de estacionamento das pistas de esqui da estação de Vallnord-Pal Arinsal, setor Arinsal, apanhamos a CS-530, passamos o túnel e viramos à direita, chegando assim à zona residencial de Prats Sobirans, a 1 575 metros. A partir daqui temos de continuar a rota a pé: seguindo o percurso da GR11 ou a rota de pedestrianismo que nos leva até ao refúgio do Comapedrosa.

Apanhamos o caminho em direção a nordeste, seguindo as marcas vermelhas e brancas do percurso da GR11, e chegamos a um painel informativo, que nos indicará as duas opções de rota que podemos escolher: seguir o caminho por um trilho até ao refúgio (assinalado com umas marcas amarelas e vermelhas) ou apanhar a pista da GR11 (marcada com umas faixas brancas e vermelhas). No nosso caso, vamos escolher a pista da GR11 e entramos diretamente num bosque de pinheiros-da-escócia e abetos.

A seguir, chegamos a uma passagem canadiana (1 735 m) onde continuamos em frente seguindo as indicações da rota que nos leva até ao refúgio do Comapedrosa, orientando-nos sempre pelas marcas da GR11.

Neste troço vamos passar por bosques de abetos e duas pontes de madeira, entre outros. Prosseguimos em direção ao Collet de Comapedrosa (2 206 m), deixando para trás o refúgio, que ficará à nossa esquerda, e a cabana dos criadores de gado, que ficará à nossa direita; e continuamos a subir até chegar ao cruzamento da GR11 com o outro caminho (o trilho inicial assinalado com marcas amarelas e vermelhas) que também nos leva até ao refúgio.

Chegados aqui, continuamos pela direita, em direção a nordeste, passamos algumas escarpas e chegamos aos primeiros lagos glaciares do vale: «les basses de l’Estany Negre» (as poças do Lago Negro) (2 600 m). A partir desta parte do percurso é preciso prestar muita atenção e ter muito cuidado, dado que é a parte mais perigosa de todo o percurso: encontram-se muitas rochas e pedras no meio do caminho e é necessário ir bem equipado dado que a estas alturas a meteorologia é muito instável e as temperaturas podem descer subitamente vários graus abaixo de zero.

Por último, caminhamos mais alguns metros pelos barrancos e uns passos mais acima encontramos finalmente o Lago Negro. Neste último troço do caminho, poderemos observar entre outros a lagartixa pallaresa, a perdiz branca ou o arminho.

Uma peculiaridade deste itinerário é que a neve se mantém em muitas zonas até meados de julho.

Tempo de subida: 3 h
Tempo de descida: 2 h 10 min

Transfira Alpify, a aplicação de segurança que permite que, em caso de emergência, o utilizador envie a sua localização exata às equipas de resgate.

Localização e contacto

Transferíveis

O que há perto ?

ITINERÁRIOS QUE VALE A PENA FAZER...

ATIVIDADES PARA SE DIVERTIR...

EVENTOS QUE NÃO PODE PERDER...