Os Presépios

OS PRESÉPIOS

GUARDAR

É sabido, como se conta na Bíblia, que o menino nasceu em Belém num estábulo e que o colocaram numa manjedoura chamada presépio, aproveitando os animais que lá havia para lhe darem calor.

O primeiro presépio de que se tem notícia fez-se em Praga no ano 1562. Na Catalunha e em Andorra, seguindo a estrela dos países do Mediterrâneo cristão, a tradição continua a estar tão enraizada que a preparação e representação do Presépio se tornou uma modalidade artística, produzindo grandes obras de arte. Um exemplo é o Presépio gigante de Canillo, que pode descobrir nas suas ruas e praças.

Uma das variantes com muita aceitação popular são os Presépios vivos. A sua origem, segundo afirmam fontes especialistas, deve procurar-se em Itália onde no ano 1223 São Francisco de Assis montou o primeiro.

No âmbito dos Países catalães, Andorra goza do privilégio de ter sido pioneira nesta atividade graças a Esteve Albert i Corp, criador e impulsionador do presépio vivo de Engordany, que se representou pela primeira vez no ano 1956. Em 2014, cinquenta anos depois da sua última recriação, Escaldes-Engordany recuperou com grande sucesso em termos de participação e público o Presépio de Engordany (este ano, devido à situação de pandemia, não haverá representações do Presépio Vivo de Escaldes-Engordany). 

Outra tradição presente em Andorra é a representação da peça de teatro Els Pastorets (“Os Pastorinhos”). As suas origens remontam às representações dos dramas religiosos que se faziam na idade média, os “officium pastorum” (adoração dos pastores). Atualmente, a sua representação está muito estendida em todo o território da fala catalã e, desde 1994, representam-se todos os anos em Sant Julià de Lòria, seguindo a obra original de Josep M. Folch i Torres.

GUARDAR

Localização e contacto

Ampliar