Património da Humanidade em Andorra

PATRIMÓNIO DA HUMANIDADE EM ANDORRA

Património da humanidade em andorra

"O património cultural constitui um dos principais testemunhos da história, da identidade e da criatividade de um país." (Art. 34.º, Constituição do Principado de Andorra).

De entre o múltiplo património cultural e natural de Andorra, uma parte já obteve um estatuto especial do qual estamos especialmente orgulhosos: o vale Madriu-Perafita-Claror e as Falles de Andorra-a-Velha. Ambos fazem parte do Património da Humanidade, o plano para a proteção dos recursos naturais e culturais da UNESCO.

O Vale de Madriu-Perafita-Claror, que foi declarado Património da Humanidade em 2004, na categoria de paisagem cultural, é um microcosmos muito representativo da forma como o ser humano utilizou, durante milénios, os recursos da cordilheira dos Pirenéus. As paisagens do Vale não são apenas testemunhos das mudanças climáticas do planeta, mas também das vicissitudes económicas e dos sistemas sociais dos seus habitantes. O espaço, que é o único em Andorra sem estradas, possui vários habitats humanos -em particular, povoações de verão de pastores-, bem como cultivos em terraços, caminhos de pedra e vestígios de trabalho de fundição do ferro.

As Falles de Andorra-a-Velha e a associação que as reavivou integram a categoria de Património Imaterial desde dezembro de 2015, como parte da candidatura das "Festas do fogo do solstício de verão dos Pirenéus." Um projeto transversal que reuniu 63 municípios da Catalunha, de Aragão, de Andorra e do sul de França e tem o apoio oficial de três países (França, Espanha e Andorra). Esta tradição ancestral é revivida todos os anos com a celebração do arraial de São João, no qual as Falles e os Fallaires desempenham um papel especial.

Localização e contacto