Esculturas e Fontes

ESCULTURAS E FONTES

GUARDAR

As formas tradicionais do artesanato de Andorra abriram-se à arte contemporânea nas suas diversas facetas. A escultura está a deixar uma marca significativa e fácil de ver no nosso ambiente natural e urbano.

Escultura contemporânea

Em 1991, por ocasião do simpósio do 25.º aniversário da CASS (Caixa Andorrana de Seguretat Social) foram distribuídas pela geografia de Andorra oito esculturas, localizadas em lugares emblemáticos do país, são um exemplo perfeito da simbiose entre arte, natureza e meio ambiente urbano:
“Estructures autogeneradores” (“Estruturas autogeradoras”) de Jorge Dubon – Canillo
“Lloc pagà” (“Local pagão”) de Michael Warren – Encamp
“Arcális 91” (“Arcalis 91”) de Mauro Staccioli – Ordino
“Tempesta en una tassa de te” (“Tempestade numa chávena de chá”) de Dennis Oppenheim – La Massana
“Robot en suspensió” (“Robot em suspensão”) de Paul van Hoeydonck –Andorra-a-Velha
“Fisicromia per a Andorra” (“Fisicromia para Andorra”) de Carlos Cruz-Díez – Sant Julià de Lòria
“Pep, Iu, Ton, Meritxell, Romà, Anna, Pau, Carles, Eugènia..., i els altres” (“Pep, Iu, Ton, Meritxell, Romà, Anna, Pau, Carles, Eugènia..., e os outros”) de Erik Dietman – Escaldes-Engordany
“Homenatge a Andorra” de Toshimitsu Imaï – Ordino 

Esculturas do itinerário do Ferro
Em 2002, por ocasião de outro simpósio internacional, foi escolhida uma série de esculturas para integrarem o itinerário do Ferro, em Ordino. Assim, todas estas obras relacionam matérias-primas naturais, como a pedra, a madeira e o ferro, com a geomorfologia, a água e a flora do meio envolvente: A casa da terra e do fogo, de Alberto Carneiro; La família Jordino, de Rachid Khimoune; Endless, de Mark Brusse; Gran carro de ferro i pic, de Jordi Casamajor; L’Home de ferro talp que camina, de Guy de Rougemont, e Terra, ferro, aigua i foc, de Satoru Satu.

É importante não esquecer que na rua Prat de la Creu em Andorra-a-Velha, em frente do estacionamento vertical, o "Robot em suspensão" de Paul van Hoeydonck transformou-se, com o tempo, no vigilante de um pátio de esculturas com obras de vários artistas nacionais e internacionais como Miquel Barceló, Agustí Roqué, Judith Gaset, Manolo Valdés e Jaume Plensa. A poucos metros dali, em frente à nova sede do Conselho Geral (Parlamento de Andorra), encontrará o conjunto dos Set poetes” ("Sete poetas"), metáfora das sete divisões territoriais andorranas, que como os monges estilitas de Constantinopla, meditam desde os seus privilegiados pilares.

Esculturas na floresta de Esquella

Por último, na freguesia de Ordino encontramos a floresta de Esquella, uma floresta mágica dividida em duas zonas em que encontrará esculturas mitológicas do artista local Àngel Calvente.

Atreva-se! Dê um passo mais e descubra uma parte do património cultural que lhe permite combinar natureza e ar livre com uma das mais puras expressões da arte: a escultura.

Fontes

As fontes simbolizam a estreita relação entre a natureza e o ser humano. Trazem-nos um bem raro e precioso oferecido pelas montanhas: água pura e natural.

Em Andorra destacam-se, entre outras, a Font de la Plaça em Andorra-a-Velha, e as típicas da arquitetura do granito: a Font de la Plaça de la Creu Blanca e a da Avinguda de les Escoles, ambas em Escaldes-Engordany.

Aceda a outras esculturas e fontes.

GUARDAR

Localização e contacto

Ampliar

O que há perto ?

ATIVIDADES PARA SE DIVERTIR...

HOTÉIS QUE LHE PODEM INTERESSAR...

EVENTOS QUE NÃO PODE PERDER...