Aldeias com encanto para um passeio de verão

As montanhas de Andorra escondem algumas das suas aldeias com mais encanto, e o verão é, sem dúvida, a melhor época do ano para passear pelas suas ruelas, praças carismáticas e recantos singulares. Arquitetura tradicional, usos e costumes de outros tempos refletidos a cada passo... Visite as nossas aldeias e descubra anos de história assentes em cada parede de pedra.

LLorts, tradição siderúrgica

A aldeia de Llorts irá surpreendê-lo logo à chegada: casas de pedra, varandas de ferro batido, a fonte dos Coms e a igreja de Sant Serni de Llorts. Declarada Bem de Interesse Cultural e de estilo arquitetónico rural, a igreja ergue-se no centro histórico da aldeia, rodeada por ruas estreitas de pedra. A sua localização, perto das antigas minas de ferro, convida a visitar a mina de Llorts, a única mina que se conserva ainda intacta em Andorra. Com cerca de trinta metros escavados, permite compreender o processo de transformação do ferro, desde a extração até à produção na Farga Rossell, uma das mais importantes forjas do século XIX.  Llorts é também o ponto de chegada da Rota do Ferro, que passa pelo caminho real  ao longo de um percurso de hora e meia desde a vila de La Cortinada.

No entanto, se gostar de fazer caminhadas, saiba que o caminho real começa na cidade de El Serrat, onde pode aproveitar para visitar a ponte medieval de Ordino, transportada em 1980 para a sua localização atual. O percurso continua pela ribeira em direção a sul, atravessando as freguesias de Ordino, La Massana e Escaldes-Engordany, e acaba em Andorra-a-Velha.

Engolasters, muito mais do que um lago

Apesar de Engolasters não ser propriamente uma aldeia, é, sem dúvida, uma zona rural de Andorra que vale a pena visitar. Na planície de Engolasters, encontrará antigas bordes tradicionais, isto é, construções destinadas guardar os animais e as ferramentas agrícolas. Presidindo o vale, encontrará a igreja de Sant Miquel, um dos monumentos românicos mais importantes de Andorra, juntamente com as igrejas de Santa Coloma e Sant Joan de caselles. Possui uma torre de 17 metros de altura de aspeto desproporcional, em relação à pequena nave quadrada do templo. Sobre as janelas do último andar da torre, são ainda visíveis umas esculturas com forma de rosto humano, as quais constituem um dos poucos testemunhos da escultura românica do país. Estrada acima, encontra-se um dos lagos mais conhecidos e acessíveis do Principado: o lago de Engolasters.

Os sete hectares da sua superfície são um recurso natural de produção de eletricidade. Nesse sentido, as instalações que rodeiam o lago permitem-lhe realizar o circuito hidroelétrico, um percurso que ilustra a evolução da produção elétrica em Andorra a partir de 1930.  Por outro lado, esta zona é uma das principais vias de acesso ao vale de Madriu, entre outros. Este, em concreto, foi declarado Património da Humanidade pela UNESCO em 2004.

Um passeio em Fontaneda

Fontaneda é uma pequena aldeia do sul do país que pertence à freguesia de Sant Julià de Lòria. Com pouco menos de 150 habitantes, é uma das povoações mais frequentadas por ciclistas, uma vez que se situa a caminho de Coll de la Gallina, um dos portos de montanha mais técnicos e exigentes e que constituiu o ponto de chegada de uma das edições da Volta a Espanha. A aldeia está formada por uma aglomeração de casas de pedra e telhados de ardósia, e tem a particularidade de ocupar apenas um dos lados da estrada, estando todas as casas dispostas lado a lado, orientadas para o vale. Além disso, a igreja não se situa no centro da aldeia, mas sim separada alguns metros, na zona mais alta, e aqui é onde começa o percurso pedestre para o Coll de la Gallina. Junto da igreja poderá contemplar uma das vistas mais espetaculares para o vale laurediano.

De construção singular e pegada à montanha, a igreja de Sant Miquel de Fontaneda ainda conserva alguns vestígios das pinturas do Mestre de Anyós, bem como um altar talhado numa única peça. Para concluir a visita à aldeia, recomendamos-lhe que passe pela adega Mas Berenguer, uma das mais recentes do país, que trabalha com vinhas variadas de Pinot Noir, Chardonnay e Sauvignon Blanc. No entanto, se lhe apetecer prolongar um bocadinho a sua estada, vale a pena visitar o santuário de Canòlich. Construído a mais de 1600 m de altitude, constitui um dos três principais santuários de Andorra, juntamente com a basílica de Nossa de Senhora de Meritxell e o santuário de Sant Antoni de la Grella, em La Massana.

Sispony, a aldeia mais doce de La Massana

Em Sispony, um dos sete quarts (regiões administrativas) de La Massana, encontrará, acima de tudo, cultura, arte românica e culto. Assim que chega à aldeia, pode ver como o passado e o presente convivem em perfeita harmonia na estética dos edifícios. A primeira joia desta aldeia ergue-se em pleno centro: a igreja de Sant Joan de Sispony. Contudo, apesar do encanto da aldeia, o que fará as maravilhas desta visita será, sem dúvida, os currais, situados nas entranhas de Sispony. Terá a sensação de estar a viajar no tempo! Ruas e casas de pedra, varandas e janelas de madeira e ferro batido, e, sobretudo, muita vegetação. Em Sispony, também poderá visitar o museu Casa Rull, um dos poucos testemunhos da vida de uma família agrícola numa época em que o campo e o gado eram a base económica do país.

Se gostar de fazer caminhadas, interessar-lhe-á saber que Sispony é a porta de acesso à serra de Enclar, onde poderá percorrer o singular desfiladeiro de Muntaner e subir aos picos de Enclar e Carroi, que lhe oferecem vistas impressionantes para a capital e para os vales dos arredores. Para terminar a visita, sugerimos-lhe adoçar o paladar fazendo uma visita ao nosso único microprodutor de chocolate, Xocland, ou à casa El Pastador, que o irá surpreender com as suas deliciosas compotas. Por último, se estiver interessado na arte religiosa e no culto, a freguesia de La Massana conta com três templos românicos que vale a pena visitar: a igreja de Sant Iscle e Santa Victoria, a igreja de Sant Cristòfol d’Anyós e a igreja de Sant Antoni de la grella. Esta última tem a particularidade de estar pegada à montanha.

Pal, uma aldeia onde o tempo não passa

Se tivéssemos de destacar uma aldeia com encanto, Pal seria sem dúvida uma delas. Situada a mais de 1500 m de altura e rodeada pela natureza, é uma das poucas que conseguiu preservar o perfil de uma pequena aldeia tradicional de montanha. Percorra as suas ruas estreitas e deixe-se envolver pelo estilo das casas velhas, testemunho de épocas passadas. Os materiais de construção tradicionais, como a pedra, a madeira e a ardósia, alternam-se em casas antigas e modernas. A igreja de Sant Climent de Pal, construída entre finais do século XI e princípios do século XII, ainda conserva elementos originais no seu conjunto arquitetónico. De facto, ela é uma das igrejas mais antigas e originais do Principiado e a única que tem um campanário de 3 andares, com uma janela dupla geminada no último andar. 

Mas há mais! Se for fã de BTT, tem a poucos quilómetros da aldeia o Bike Park de Pal. Situado na estação de esqui de Pal Arinsal, dispõe de numerosos circuitos onde poderá praticar diferentes modalidades de BTT, assim como de uma zona concebida para a iniciação dos ciclistas mais jovens. Em pleno verão, poderá também desfrutar em família de inúmeras atividades ao ar livre no Mountain Park. Se viajar com crianças, outra das visitas imprescindíveis é a Floresta dos Menairons, onde há um caminho mágico para percorrerem juntos, em que é possível interagir com o meio ambiente e os mais pequenos despertarem para o amor e conhecimento da natureza. Para terminar, se gosta de miradouros, em Pal há vários onde poderá apreciar vistas únicas.

Ransol, uma aldeia atemporal

Situada no alto de uma montanha, Ransol é uma aldeia singular e com poucos habitantes. Caracteriza-se por ser uma aglomeração de casas antigas que convivem com construções mais modernas e atuais. Possui um património de grande importância cultural: no centro histórico encontram-se várias casas medievais, com vestígios do passado, que não deixam ninguém indiferente. A capela da povoação, a igreja de Sant Jaume de Ransol, de origem pré-românica, situa-se junto da estrada e faz parte de uma etapa do famoso caminho dos peregrinos, o Caminho de Santiago. À entrada da aldeia encontrará Cal Jordi, um dos nossos microprodutores, especialista na produção de enchidos tradicionais. Se quiser fazer-lhe uma visita, irá aprender como os seus produtos são feitos e poderá prová-los.

A excelente situação geográfica de Ransol oferece uma espetacular vista panorâmica para todo o vale de Canillo. É um destino ideal para os amantes da neve, devido à proximidade das pistas de Grandvalira, mas, sobretudo, é zona de passagem de caminhantes, uma vez que dá acesso ao pico da Serrera, um dos cumes de Andorra a mais de 2900 m de altitude.  Alguns dos itinerários mais conhecidos partem da Coma de Ransol, tais como o caminho dos lagos de Querol e o das Salamandres, ou ainda o caminho circular da freguesia, de 30 km, em que uma parte passa por Ransol.
 

Como pode ver, as nossas aldeias têm muito para lhe mostrar. Este verão, saia da rotina e explore estas pequenas joias, distribuídas por todo o país.

Olhe para onde olhar, ficará fascinado!